Skip directly to content

As (muitas) causas de dor no joelho

Os joelhos são um mecanismo complexo, do qual dependemos para nos movimentarmos com facilidade. Conheça os vários tipos de dor no joelho e as suas origens. É importante compreender as causas e as formas de tratamento de cada lesão.
 
O joelho, articulação intermédia do membro inferior, é constituído por duas articulações funcionais: a fémoro-tibial e a patelo-femoral. Permite a flexão e extensão, assim como a rotação quando se encontra fletido (não na extensão completa).
 
Dor no joelho
Para designar a dor localizada no joelho existe o termo médico gonalgia. Este tipo de dor leva, frequentemente, os doentes a recorrer a uma consulta de ortopedia ou ao serviço de urgência e, na maioria dos casos, resulta de um traumatismo. No entanto, existem determinadas doenças sistémicas que atingem a articulação do joelho, nomeadamente a osteoartrose, a artrite ou a gota. A dor no joelho pode ter origem em qualquer das estruturas que envolve esta articulação, como os ligamentos, tendões e bolsas ou nas que formam a própria articulação: ossos, cartilagens e ligamentos.
 
Dor aguda
A gonalgia aguda é referida como uma dor localizada no joelho com aparecimento súbito e na maioria dos casos é resultado dum traumatismo.
As causas mais comuns de gonalgia aguda são:
 
Lesão ligamentar
O joelho apresenta quatro ligamentos: colateral interno e externo e cruzado anterior e posterior. A lesão nos ligamentos colaterais, na maior parte dos casos, é o resultado duma queda ou traumatismo direto. A lesão do ligamento cruzado anterior é dolorosa e apresenta concomitantemente edema imediato. Se o doente faz força nesse membro sente que este vai “ceder”. Na maioria dos casos, em virtude da dor ou instabilidade sentidas, vê-se obrigado a cessar a atividade.
 
Tendinites ou rutura dos tendões
Existem dois tendões no joelho (quadricipital e rotuliano). Podem ser sede de inflamações – tendinite – sobretudo em atletas (corredores, ciclistas e esquiadores). Os sintomas são dores na região anterior do joelho e edema mas, no entanto, na maioria dos casos, a dor é inconstante. Pode ocorrer a rutura parcial ou completa do tendão, que causa uma dor intensa sobretudo com a extensão do joelho.
 
Lesão meniscal
Os meniscos são fibro-cartilagens que têm como função aumentar a estabilidade do joelho, permitindo o transporte de cargas e a absorção de impactos, bem como a lubrificação e a capacidade de reconhecer a localização dos membros (proprioceção).
As lesões meniscais passam por ruturas que podem ocorrer em vários locais da cartilagem e com configurações diferentes. Na maioria dos casos surge dor e edema leve a moderado nas primeiras 24 a 48 horas. Também pode ocorrer um bloqueio do joelho caso a rutura interfira com a mobilidade do joelho.
 
Bursite
Inflamação da bolsa que aparece como uma área inflamada ruborizada, edemaciada e quente.
 
Corpo livre intra-articular
Degeneração cartilagínea ou óssea causada por traumatismo.
 
Luxação da rótula
Geralmente a luxação é externa. O quadro clínico consta de dor intensa, edema, dificuldade em andar e em esticar o joelho. Após o primeiro episódio de luxação existe uma probabilidade elevada de recorrência.
 
Doença de Osgood-Schlatter
Afeta os adolescentes. Causa dor e edema na tuberosidade tibial (abaixo da rótula). A dor varia de moderada a intensa e agrava-se com o exercício (especialmente corrida e saltos) e melhora com o repouso. O desconforto pode durar semanas a meses, só cessando quando o adolescente pára o crescimento.
 
Artrite séptica
Infeção do joelho que leva a dor intensa, edema e rubor. Concomitantemente pode aparecer febre.
 
Gonalgia crónica
A gonalgia crónica pode ter como causa uma lesão traumática ou uma doença sistémica como artrite reumatoide, osteoartrose, gota, pseudogota e condromalacia. Existem vários fatores de risco para o aparecimento de gonalgia crónica, sendo que um dos mais frequentes e comuns nos países desenvolvidos é o excesso de peso. Sabe-se que o excesso de peso aumenta o stress nas articulações dos joelhos mesmo durante atividades de rotina como andar ou subir e descer escadas. Para além disso, também aumenta o risco de osteoartrose devido ao aceleramento do desgaste das cartilagens.
 
As causas
A razão pela qual um doente apresenta uma gonalgia é um exercício desafiante, dada a grande variedade de causas possíveis. Deve ser efetuada uma história clínica e um exame físico que inclui diversas manobras/testes para avaliar a integridade das várias estruturas do joelho. Muitas vezes os testes não são suficientemente sensíveis e específicos para permitir o diagnóstico exato, razão pela qual o médico pede outros exames complementares (Raio-X, TAC ou Ressonância Magnética Nuclear- RMN), que vão confirmar a hipótese por ele suspeitada.
 
Tratar a gonalgia
No que diz respeito ao tratamento da gonalgia, este varia consoante a causa para o aparecimento da dor. Se esta for um traumatismo deve-se tentar quebrar o ciclo inflamatório que se inicia imediatamente após a lesão. Mesmo um pequeno traumatismo leva à libertação de substâncias que culminam numa resposta inflamatória. Para quebrar este ciclo deve-se iniciar o tratamento o mais precocemente possível e por um período de 48 horas.
Se se tratar duma lesão mais grave pode haver necessidade de uma intervenção cirúrgica e de fisioterapia.
 
SOS dor no joelho
Estas medidas devem ser iniciadas o mais cedo possível e serem mantidas ao longo de 48 horas:
 
Compressão e proteção para prevenir o edema e manter o alinhamento e estabilidade do joelho. Deve ter contenção suficiente para suportar o joelho sem interferir com a circulação. O uso de canadianas pode ser necessário.
Repouso, variável em função da lesão.
 
Aplicação de gelo, que reduz não só a inflamação mas também a dor. O ideal é fazê-lo cerca de 15 minutos 4 a 5 vezes por dia, tendo em atenção que não se deve ultrapassar os 15 minutos  devido ao risco de lesão cutânea ou nervosa.
 
Elevação do membro para diminuir o edema.
 
Anti-inflamatórios não esteróides devem ser tomados apenas quando prescritos pelo médico que observou o doente.
 
6 fatores de risco para ter dor no joelho
Excesso de uso do joelho.
Falta de força ou flexibilidade muscular.
Problemas mecânicos.
 Atividades e desportos de alto risco.
Lesão prévia.
Idade e sexo.
 
 
Fonte: AdvanceCare


Postar novo Comentário